Me Siga

    Go to the Customizer > JNews : Social, Like & View > Instagram Feed Setting, to connect your Instagram account.

México: Onde ir e o que fazer nas Ruínas de Cobá

Aposto que quando você ouve falar no México logo pensa nas belas praias de Cancún, na tequila e na celebração do Día de Los Muertos, acertei? Mas, para além de toda a diversão e festividade mexicana, o país também oferece um turismo cultural e a oportunidade de entender um pouco mais sobre a vida da civilização Maia, que teve seus principais centros localizados no México e na Guatemala. 

As Ruínas de Cobá são um destino menos popular comparado aos outros roteiros das Riviera dos Maias, no entanto, elas não deixam nada a desejar em comparação com as ruínas mais famosas. Localizadas no estado de Quintana Roo, Cobá pode ser um excelente destino para aproveitar um ponto turístico histórico menos conhecido ou variar um os dias de praia no México. 

RelacionadoPosts

As antigas civilizações prezavam por nomes cheios de significados, e isso não seria diferente com o nome das cidades. Cobá quer dizer água turva, e essa importante urbe pode ser um destino surpreendente na sua viagem.      

Leia também: Gênova: Você conhece a capital da Ligúria?

Ruínas de Cobá – Quintana Roo

Cobá está a 180 km de Cancún e tem o maior número de ruínas na altitude de 42 metros localizadas na Península de Iucatã. A região abrigou uma parte da civilização pré-colombiana dos Maias e foi um importante político e religioso entre os anos de 440 a 1100. Hoje, em meio a uma floresta, se encontram por lá as históricas construções em formato de pirâmide já deterioradas pelo tempo, mas não menos impressionantes.

Observar o trabalho de arquitetura e engenharia dos povos pré-colombianos é algo que nos faz imaginar como era a vida naquela civilização. As construções de pedras, hora pontiagudas, hora arredondadas, são muito bem elaboradas, com rochas que foram cortadas, transportadas e organizadas de maneira a atravessar os tempos. Elas são unidas por um tipo de “argamassa” que mistura pó de pedras e plantas. 

Ao redor das ruínas encontram-se povoados indígenas que ainda falam o dialeto dos Maias. Há uma variedade de mais de 60 tipos de línguas além do espanhol. Uma boa oportunidade para entrar em contato com diferentes povos e culturas.         

O fim do mundo

Para os Maias, a vida na terra girava em torno de ciclos, ou seja, de tempos em tempos os acontecimentos estavam determinados a se repetirem. Uma eterna montanha russa. Andando pelas ruínas encontramos fragmentos desse modo de pensar. Em um monolítico encontrado nas ruínas está a anotação de que em 2012 um ciclo chegaria ao fim. Daí surgiu aquela história de que o mundo acabaria no ano de 2012 e que os povos antigos haviam previsto isso. Nada como conhecer a história e suas origens. 

Andando por  Cobá

É possível realizar a visita sozinho ou com o acompanhamento de um guia. Lá dentro, você pode andar a pé, de bicicleta ou ainda alugar uma bicitáxi com lugar para até dois passageiros e ir curtindo uma volta de bicicleta enquanto vai dando uma paradinha pela construção das ruínas. A área tem cerca de 6,2 km quadrados de estrutura Maia para serem desbravados ao longo de um dia. Um passeio imperdível e que vale a pena estar em seu roteiro do México.     

Patty Leone

Patty Leone

Com uma bagagem de mais de 20 anos voando pelo mundo afora, amo dar dicas e compartilhar minhas experiências.

Related Posts

Discussion about this post

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms below to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.